quinta-feira, 12 de julho de 2018

16:07

Me desculpem por meu coração ficar à esquerda do peito.

Me desculpem se eu quiser falar das coisas bonitas da bíblia
Das passagens de amor e esperança
Dos versículos de ensinamentos que constroem e não destoem
Das leituras que geram vida
Dos versos que não falam de leis antigas
Dos que falam de libertação

Me desculpem se eu lhes falar de Bethânias, Samarias e Beléns
É que a vida já é pesada
E ter alento na fé
Se faz morada

Me desculpem se eu preferir um Deus que é Deusa também
É que o mundo é muito patriarcal
E ter os cuidados generosos dela
Se faz razão

Me desculpem se eu enxergo meu Jesus mais Nazareno
É que o Cristo é longe demais do que vivi
E ter a revolução do Moreno
Se faz hora

Me desculpem se eu acreditar em uma Virgem Maria que é mulher como muitas somos
É que nasci mulher e sei o quanto dói na carne o peso desse sim
E ter essa ousadia
Se faz vez

Me desculpem se eu preferir falar de uma religião dos pobres
É que nasci numa periferia, tal qual o Moreno
E sei das cruzes que meu povo carrega sorrindo

Me desculpem se eu professar a libertação
É que sou latina e cresci latina
Num país que te mata por um pedaço de terra
E ter lado nessa guerra
Se faz comunhão.