quinta-feira, 30 de setembro de 2010

00:04

Entrelinhas ...

Evitei dizer até agora, mas já não cabe em mim, isso tem que ter um fim, não tenho mais tempo nem para mim nem para você.
Seremos como as poesias que sofrem em demasiado, mas sempre tem seu final feliz, pelo menos aqui nestas linhas mal traçadas nas quais tento expor meus pequenos sentimentos, onde ao ponto final se acabará sem mais nem menos por esquecimento meu ou por medo da solidão que é viver sem você !

terça-feira, 28 de setembro de 2010

00:06

Desabafo de uma Noite ...

Irritabilidade a flor da pele, tudo parece explodir dentro de mim , tudo dói, tudo me faz mal.
As marcas me desfiguram tornando minha história mais uma contradição irremediável.
Morrendo por dentro, descrente, ainda há fé mas não sei em que!
Não sei mais o caminho, me perdi, não sei por onde caminhar, não sei o que será, tudo não faz sentido!
Estou em meio a vários lenços de papel, em lágrimas profundas ... Angústia suprema.
Quero acabar com tudo. Mas não tenho coragem ...
Quando eu preciso de colo, não tenho, acho que é meu carma  sempre resolve-los sozinha !
Sempre sozinha ... 
Eternamente em contradição, em mutação mas hoje sem forças para continuar ...


sexta-feira, 24 de setembro de 2010

18:13

Marcas ...

Marcas, que machucam
Marcas, que me curam
Marcas, de um amor
Marcas, de uma dor.


São marcas de vida e de morte.
Marcas causadas pela vida, que se traça 
e pela morte que me resta.
De que adianta você me dizer que é verdade,
se as marcas que tenho são distintas das que tens.


Marcas que são tuas,
Marcas que são minhas,
Marcas de mel,
Marcas de fel.


São marcas que me afogam num copo de bebida,
de medo da ferida.
São marcas que me cobram a verdade.
Marcas de uma vida ... Marcas ... Apenas Marcas.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

01:22

3 coisas ... 6 atos ...

O que fui, o que sou e o que serei?
Na loucura da noite a dama de vermelho, sua deusa, ser prazer, dar prazer. 
A tarde apenas uma criança, para brincar de roda, para ser a ciranda, que gira e encanta.
De manhã um bebê que só quer deitar em teu colo e dormir, me deliciar com teu aconchego.
Há três coisas, o fui, o sou e o serei, o teu bebê, tua menina e a mulher do prazer 
... Serei o que quiser ...

domingo, 5 de setembro de 2010

23:51

. Um certo Sei lá .

São dois lados, 
Duas forças,
 No fio da tomada a corrente que leva ao certo gesto, 
Ao certo som que não se abala, que não se ensurdece que não se esquece de nós ...

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

00:59

Palavras Incompletas


A incompetência da palavra a falta de compreensão.
O medo da ação e a argumentação da paixão.
De que adianta tanta pose?
De que adianta tanto status?
Se quando te vejo eu tremo, me desespero.

Te procuro, te curo a dor.
Te faço rei, te faço ator.
Conto histórias, te faço sonhar.
Mas com quem?
Comigo?
Ou com as palavras?

A noite sua deusa, sua fada , sua dor ...
Nos dias que me resta apenas uma flor.
Sou sua amada apenas uma dor... que me cega, que me resta?
Apenas tua dor ...

Quero ser mais do que isso quero ser o seu amor !





quarta-feira, 1 de setembro de 2010

23:07

Fim de Tarde ...


O céu e eu
O sol e eu
O mar, o vento, as nuvens, a areia entre os dedos dos pés,
Nós juntos.
Em mim a melhor sensação do mundo.
Um sopro de vida.
Paixão no ar.
E o melhor sorriso no rosto,
Mãos se encontram,
Olhares se cruzam.
Risos e palavras ao vento.
O céu em multicor parece rir para nós.
O astro rei por completo laranja,
Nos aquece o corpo e o som de nossas vozes o coração.
Aquela visão nos tira o fôlego, faz-se em silêncio ...
Agora os olhos falam por nós,
Já não há mais necessidade de nada .
Os corpos se aproximam ... os lábios também ...

Enfim o beijo ...
A noite vem !!