sexta-feira, 29 de outubro de 2010

22:47

Prece ...

Pai, pela gente que não sabe amar,
por quem não sabe perdoar.
Pai, por aqueles que não sonham,
por quem perdeu a fé.
Pai, pelos que falam mas não vivem,
por quem mente.
Pai, por aqueles que não acreditam,
por quem se conforma.
Pai, pelos jovens que a caminho do Reino perdem o seu valor,
por aqueles que perdem sua utopia.
Pai, por nossos governantes,
por quem rouba nosso dinheiro.
Pai, por quem não me ama,
para que não tirem de mim o respeito.
Pai, pelas pessoas que como eu rezam,
por quem ainda reza.
Pai, por nossa voz,
por quem segue lutando.
Pai, por quem trabalha mal,
por todos que se vangloriam.
Pai, por mim que já se cansou,
para que nunca desista da luta ...
Amém.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

03:18

A cegueira da visão ...


Não vejo nada ...

Preciso que os olhos vejam o que é bom ou ruim ...

Matar a vontade !!

03:07

"... Se lembrar de celebrar muito mais ..."

Teatro
Estreasse
Animação
Amigos ... hum ... Cerveja
Conversas
Risadas
Besteiras
Problemas ... ixii ... Trás mais uma.
Merdas
Gargalhadas
Banheiro
Novas amizades ... eita ... Desce mais uma rodada.
Celular
Bronca
Risos
Madrugada ... aahh ...
A saideira

02:43

Triste Fim ...

Fiquei a pensar esses dias no fim da vida, deitada a olhar as nuvens que vem e vão, pensei em tudo em como eu iria morrer, e como seria enterrada, e o que estaria escrito em meu epitáfio...
Então ri de tudo!
Oras, mas que boba eu, pensando nessas coisas ... O silêncio calou-me, pus a pensar no valor da minha vida,
nas coisa que fiz ou deixei de fazer, nas aventuras, nas carícias, nos abraços, nos beijos ...
Percebi que se morresse naquela hora seria o ser mais sem sorte e solitário do mundo, passaria dias ali até alguém sentir minha falta ...
Não esperei nem a lágrima cair, me coloquei de pé, firme e dura, me obriguei a parar de tolices, então comecei caminhar, fui sem rumo até o fim da estrada, caminhei horas sozinha, sem ninguém ao meu lado,
só o vento e eu, e por sinal vento frio e duro, já não sentia nem minhas pernas quando me pus a chorar.
Já não tinha mais forças para lutar contra aquilo que vinha de dentro de mim ... 
Pedi para morrer, mas infelizmente não fui atendida.
Adormeci ...
E até hoje não sei se foi sonho ou realidade, só sei que nunca mais quero acordar assim !!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

18:27

Ambientar - Se ...

Hoje a cada dia que passa aumenta o nosso caos ambiental, a poluição em crescimento geral, indústrias, desmatam, jogam seus gases no nosso céu não mais risonho e límpido, destroem à beleza e a pureza de nossos mares e rios. A destruição é total, há tantas espécies em extinção e tantas fadadas ao mesmo fim, um deles os seres humanos .
Há de se admitir que a culpa também é nossa, nós que jogamos nossos lixos em qualquer lugar, nós que fechamos os olhos para essa destruição. É necessário uma reeducação, é preciso ambientar - se! Com o passar dos anos várias ONG's surgiram, para juntos tentarem mudar essa situação, com campanhas de reciclar nosso lixo, de plantar novas árvores e de cuidar do nosso lar à Terra.
É muito fácil ajudar, reciclando, usando de nossa cidadania, não jogando lixo no chão e associando - se a uma causa, é preciso sobreviver, pois enquanto se vive se luta, e ambientar - se hoje é mais que preciso ... Recicle sua ideia ... Seja eco !!

domingo, 3 de outubro de 2010

22:42

Esperança ...

Esperei tanto pela primavera, que nem consigo sentir seu gosto de tanta euforia.
Junto as flores da rua, nasceram flores em mim, no compasso do batuque no tun tun do meu coração
já vem o ritmo da bateria, um carnaval fora de época dentro de mim. 
O sorriso me vem a boca, não consigo disfarçar, meus olhos brilham, minha boca canta, meus pés
sambam, incrível e mágico.
Tanta paixão dentro de mim, é a esperança da primavera a preencher o vazio,
até esqueço dos problemas.
Voar com as borboletas, sim, porque quem aprende a voar não vê graça em andar por entre os
Jardins de Girassol.
Ah e como o Girassol reina esplendoroso, tal qual o próprio Sol a iluminar meu dia.
Festa no meu coração, mil sensações, viajo olhando as nuvens no céu.
A me perguntar :
-Será que isso tudo é verdade ? 
. Viver . Amar . Lutar .

sábado, 2 de outubro de 2010

00:08

Devaneio ...

Um cálice, uma vela, entre pernas e braços que se cruzam e se enrolam, entre loucura e prazer, entre o desejo de ter e ser. 
Bocas quentes, fervendo procurando um corpo, que ainda não sabe o que fazer. 
Uma esquina,  e todos parecem saber no que vai dar , as mãos tocam o corpo, o corpo se arrepia, num soluço de quer mais, dá as mãos um descanso e com toda delicadeza retruca cada carinho...
No final tudo não passava de um sonho, de um devaneio.