quinta-feira, 31 de março de 2011

03:22

Pudor

De vermelho ela veio, só para enfeitar seus pensamentos mais sórdidos. Se queimando por dentro ela vem, toda gota, toda moça tem um quê de puta. Toda mulher sabe ser uma. Com passos largos ela cruzou a cozinha, ela parecia dançar. Debochava, brincava com a boca. Ela é dona do poder, aprendeu a mandar com o marido. Hoje ela não é Amélia hoje ela é o Prazer. 
Ela sabe onde chegar.

Feito dona do destino ela faz e desfaz, faz ele pirar. Ela quer ele também. Quem disse que isso não é amor? Ela sabe como amar, como agradar. Toda menina sabe se cuidar, toda menina aprende o que é cuidar, toda menina sabe se dar. E virar mulher. Finge que não há ninguém olhando, abre o vestido lentamente. Olha de canto um olhar fatal de quem vai te devorar, e a fome é tanta que não consegue nem disfarçar. A partir dai tudo fica por conta da imaginação de qualquer pervertido ou mulher se razão
...
Toda mulher tem, toda mulher dá.
Poder & Pudor. 


 Só não vale espalhar pois ela é uma mulher de respeito. Como todas são!

0 comentários:

Postar um comentário