sexta-feira, 10 de junho de 2011

03:26

.A Poeira da Alma.

Os restos de mim .. 


(o lembrete na geladeira) 


'Poesia, sinceridade e arte.
Embriagar-se delas.'






Minha liberdade.
Minhas asas.


(a vitrola ligada)


" .. Il boit d'énormes rires
Et mange des bravos .. "

Uma boa hora pra limpar a poera.
deixar ela sair.
Voar.


A poesia dança comigo.
Ela me arranca suspiros,
Me tira da cama, me faz sonhar.
A poesia nunca é de mentira.
Ela é verdade,
Ela se torna verdade.
Ela é boca salivando um beijo.
É abraço apertado de saudade.
Ela é carta de amor.
Ela é insanidade.



Restos de mim se espalham,
Em caneta e papel pelo chão.


0 comentários:

Postar um comentário