quarta-feira, 28 de setembro de 2011

09:51

‎". Os incomodados que mudem o mundo ."

E assim começa minha luta:


Caminhando descobri que o mundo é pequeno.
Sonhando aprendi que o mundo é grande de mais para nós.
Foi sendo assim que aqui cheguei.
Desbravei meus medos e ganhei a batalha do meu coração.


Fui mais além das minha fronteiras, venci reis, perdi para mendigos.
Admirei o por do sol, cantei aquela canção do adeus.
Dancei para os deuses.


Fui venerado e humilhado.
Amei e odiei por uns instantes.
Dei de mim aquilo que era precioso .. O Tempo.


Não deixei de lutar se quer um dia.
Mesmo na dor eu caminhei.
As vezes cansado, perdi a fé, mas não desisti.


A descoberta da vida é admirável.
O aprendizado da morte é necessário.
E isso constrói o que somos.


Somos todos feito de vida e morte.
Nós somos feitos do mesmo material: Fé, ilusões e sonhos.
E é por isso que sagrar é algo natural.


Somos os donos do nosso destino.
Temos sede de mudança.
Não queremos nos acomodar com o que incomoda!


Fui metade de mim quando deixe de gritar.
E fui pleno quando me entreguei a luta!
Me incomodei e fui atras da mudança.


E assim continua a minha luta ...




terça-feira, 13 de setembro de 2011

15:05

A Encantadora da Vida


Queria deixar que corra o rio, que se faça frio dentro de mim ...
Queria que as canções tocasse e a gaita chorasse todo meu desamor.

Fui rainha de guerras.
Beija-flor de canções.
Umas vezes donzela outras á desabrochar ...

Queria que o mundo coubesse no meu coração.
Queria que boca felasse coisas do coração.

Tão pequena que miúda foi a dor.
Tão deserta que na seca foi amor.
Parti sozinha mais uma vez para lutar por meu amor.

Queria que não soube ler, nem escrever,
Pra não ter que escrever nessas linhas mal traçadas o que é viver.
Solitária e fria, amarga mais sabida.
Pelo menos por uma poesia sei que fui feliz do resto da vida não sei ainda não escrevi.


sexta-feira, 9 de setembro de 2011

10:04

Esvaziou-se

Silêncio ..
Desejo e paixão.
Passos leves corpo nu.
Ela passeia pela casa sem pudor.
Sussurros e palavras ao vento.
Corpo quente.
Mãos geladas ..
Frio.


Castigo ..
Deixei a janela aberta.
Nem sinal de sorte, nem sinal de amor.
Apenas espaço.
Vazio.
Solidão.


Olhos fixos ..
Coração disparado.
Medo.
Pouco tempo para ficar.
E em pouco tempo já parti.
Sou assim, sem lar.
Vento forte a soprar.