sexta-feira, 4 de novembro de 2011

14:19

Sinto

Hoje eu acordei como a maior saudade de todas.
Alias fui dormir com ela.
Acho que temos uma caso estranho de amor.
Ela vem quando quer, mas sempre está por perto, pronta pra me pegar de jeito!
Um dia eu pego ela …



Descarada essa saudade, ela me toma por inteiro.
Me vira de ponta cabeça.
Me tira o medo de amar, me tira o sono, a paz e a culpa.
Ela me domina, se torna meu desejo insaciável, meu defeito mais sublime.
Um dia eu faço ela parar ...


Hoje ela me fez dançar mais uma vez.
Atirou-me em seus braços, pedindo abraços, beijos, cheiros e afagos.
Um sorriso em comum de um amigo distante.
Um carinho, um dengo, todo mundo juntinho de novo.
Aii saudade que não tem fim ...




... Acho que em vez de virgula minha vida usa saudade como pausa para respirar.



[Gostaria de dedicar aos meus pedacinhos de mim que estão espalhados.]

0 comentários:

Postar um comentário