domingo, 30 de dezembro de 2012

03:43

- Clichê de Fim de Ano. -

Todo mundo tem o seu clichê, disso eu tenho certeza, e eu tô falando de você que leu isso e disse: "Eu não." ai que eu te pego, tem sim  me achei nessa frase. e sabe por quê? Ora meu amor você está renegando os Clichês de Fim de Ano e isso nada mais é que um Clichê, muito mainstream eu diria.  Amo essa palavra. — Revogo a mim esse pensamento de mudança, tenho muita preguiça e nem acredito muito nesses tais clichês, mas os cumpro religiosamente todos os anos, mais por mística e corrente daquilo que insisto em dizer: "Maria Vai Com As Outras." É clichê e não tem o que discutir. TODO MUNDO FAZ. Assim mesmo em caps lock, ou vai me dizer que não? Certeza que você vai usar calcinha vermelha, e você que tá na praia vai pular  confesso nunca saber qual a quantidade certa de ondinhas a ser puladas.  sete ondinhas e o outro vai comer lentilha de baixo da mesa  bom, eu sempre como. 
E o que falar das Promessas?? Me peguei discutindo isso com minha mãe hoje, por que fazer promessa e planejar se você nem sabe se vai estar vivo amanhã? — Espero que sim.   Sabe que tecnicamente falando é um dos clichês que menos entendo,  O que é assustador, porque eu acho normal usar calcinha colorida. Bizarro.  Já parou para pensar em quantas promessas não cumpridas você já fez? Porra! Eu faço várias, tresloucadamente (essa palavra existe?), o que eu quero dizer, é que talvez esse seja o clichê mais usado do mundo, mesmo as ondinhas sendo aquilo que normalmente eu chamo de vergonha alheia, mas todo mundo faz. E tudo bem, esse é o clichê mais batido do ano todo, o que me leva a crer que é o mais sem noção de todos, uma vez eu até prometi não falar mais palavrão, e olha no que deu.  Há boatos de que isso será tese no meu TCC.  Enfim esse é o clichê que com certeza você vai acabar fazendo, mesmo que involuntariamente, então boa sorte, e desta vez tenta cumprir!
Outro clichê que muito me intriga é o tal de Usar Branco, isso em algum momento passou a ser o clichê da moda mais batido do Brasil, tendo em vista que em outros países, isso é só um detalhe e me parece que em Londres eles usam preto, que é a cor que os supersticiosos dizem que é proibido usar no Ano Novo. Ora! Mas vejam só, É PROIBIDO! Não, acho que a palavra mais adequada seria, não recomendável.  Foda-se!  Só por isso vou encerrar essa parte por aqui, e eu vou usar bege ou sei lá como chamam aquela cor, champanhe?
Eu acho que o máximo que podemos fazer é aquilo que nos faz bem, mesmo que tudo isso a cima seja um tanto quanto estranho  e eu faço  é o que nos faz bem, porque na realidade é só mais um ritual, e como todo ritual deve se seguir um ritmo, uma mística, uma sucessão de atividades que resultam no despedi-se do velho e receber o novo, e isso vale muito a pena, eu sou uma pessoa de muitos ritos, gosto de celebrar as coisas assim, por exemplo, vou acender velas e incensos enquanto me arrumo para a festa, assim simbolizo o que estou deixando que vá para o cosmo, aquilo que não vai me servir no próximo ano e minhas esperanças, rezo e canto mantras, também gosto de usar tudo novo e algumas coisas emprestadas,  o lance das coisas emprestadas rola pra muita coisa na minha vida, gosto de pegar as energias dos outros.  gosto de beijar e abraçar quem eu amo, minha família, ver os amigos, o que é bem normal a todos, estar bem comigo mesmo, resolver minhas tretas antes das zero horas, esse é o meu clichê e me orgulho dele.
Tem um outro clichê que eu não posso esquecer, aquele que a gente sai desejando tudo de ótimo, prosperidade, boas festa, amor, paz, saúde, dinheiro no bolso  ou onde você desejar.  beijo na boa, chamego, safadeza, bebedeira sem a lei seca te pegar  piadinha.  sonhos, realizações, utopia, luta, vitória, amaço no portão, amor que fique, felicidades, frio na barriga e tudo mais que possamos imaginar, bem é isso que pessoas fazem, sem falar dos amuletos e outras coisinhas .. rs. E eu estava falando do beijo a meia noite, clichê americanizado, mas que eu apoio. 

É só isso pessoal, sei que tem mais coisas, mas o que eu quero mesmo dizer, é que esse ano me encontrei como escritora, e agradeço a vocês ousados que leem meu blog, que insistem nesse erro, obrigada por mais esse ano e se Deus quiser até o ano que vem. Desejo tudo o que já escrevi a cima e aos supersticiosos que como eu, amam o treze, um 2013 repleto de coisas ótimas e pois esse vai ser O ANO BEBÊ! 





E que a vida seja um eterno clichê se negando a ser, pois ser e se contradizer é divino e demonstra a sanidade de nossa loucura, sejamos capa e contracapa. 

sábado, 22 de dezembro de 2012

00:55

Nem foi Tempo Perdido.

Vinte anos se passaram e com ele toda a infância, a tal inocência e o medo do escuro. Pedi pouco desses últimos anos, mas o pouco já era muito e com isso aprendi a lidar com o que falta e principalmente com o que sobra, não que isso seja ruim, mas talvez isso seja a nossa melhor lição, saber usar aquilo que temos e que ninguém mais quer.  As vezes meu mau humor, minha grosseria, maluquice e sinceridade.  Coisas que não dá para se jogar fora, o que fazer então? Essa talvez seja a melhor pergunta esse ano, pois sei que sou uma pessoa difícil de lidar, e normalmente o que nos falta é o que as pessoas procuram encontrar em nós. Descobri que se olharmos bem temos mais sobras que falhas e faltas e reclamamos de barriga cheia. Minha loucura foi o que sempre sobrou,  Meu lado Foda-se de ser.  e é o que mais me agrada, ponto positivo, criei assim o melhor jeito de ser Eu mesma a partir dessas sobras. Sou mais feliz após essa lição de casa: Ser o que se é até as últimas consequências, seja para o bem ou para o mal, pro ótimo ou pro ruim. Carpe Diem.
Descobri uma Bianca mais forte, mais frágil e mais Ela, difícil de explicar, apenas sentir, fazer e viver. Durante muito tempo fiquei me explicando, este ano não foi diferente, tirando por uma coisa: Pedi minha demissão, sem pensar, sem consultar ninguém, sem me explicar, apenas cansei e sai fora, do nada, ou quase do nada. Hoje me sinto muito melhor. Temos o péssimo hábito de nos tornamos escravos de nós, por comodismo ou por ter que dar muitas explicações, no meu caso os dois. O que não pensei, foi que isso afetaria todo o sistema organizado da minha vida, sem trabalho quem pagaria minha faculdade? Mamãe? JAMAIS. Se tem algo que não abro mão é de me virar.  Orgulho da minha parte.  Isso me fez mais bem do que eu levianamente pensava, a reorganização do sistema falido me fez correr atrás do verdadeiro objetivo da minha vida, assim consegui crescer muito mais, ainda não está fácil, mas está caminhando. Sou mais madura  Não gosto dessa palavra, "Madura", me soa tão pesado, ridículo.  para dizer cansei de agonizar por "necessidade", faço o que amo e isso um dia irá me bastar.
Lindo é descobrir a sua música do ano assim, curtindo um show numa noite e apenas viajar com a letra, só pensar que ela é muito minha esse ano. É mais lindo ainda, porque não teria graça descobri-la logo no começo do ano, teve que ser há algumas semanas atrás, teve que ser de surpresa e teve que ser agora. A letra dela cabe em gênero número e grau, passei de chuva à sol, de solidão à multidão, bons e maus momentos, rebeldia e mansidão, promessas não feitas, a pressão da responsabilidade, o selvagem, o leão por dia e ainda sim, não se preocupar, não mais, com o que será amanhã, já que o mundo não acabou,  ainda.  saber que a vida é assim, que temos nosso próprio tempo, para aprender, todo o tempo do mundo para viver, para ser, e concertar nossos erros, somos tão jovens e não temos tempo a perder. Para quê sofrer em vão? Para quê agonizar o medo de perder? De não ser o bastante, de não ser perfeita, de não bastar? Se você ama, luta, se não é agora, tenha fé, confia que um dia será. E já estamos distantes de 2012, que venham novos sonhos, planos e tempestades, porque não foi tempo perdido, não foi em vão. 


 Lição para o ano que vem: Fazer tudo o que se pode fazer, sem medo de ser FELIZ e por AMOR.  

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

12:46

Morena de Guadalupe.

Morena de Guadalupe, Latina como nós.
Jovem como nós.
Revolucionária como poucos de nós.
Sonhadora como ninguém.
De cores e mistérios.
De fato és a única.
Com sua prova dura,
Mas sem perder a ternura.
Rosas
As eleitas para seu milagre.
Um índio.
O escolhido para torna-lo possível.
Em seu manto se encontra as estrelas do céu.
E sobre seus pés a lua.
Fazendo dela Imperatriz.

La Morenita.
De voz doce.
Que só queria mostrar o que é amor,
Queria ensinar o que é justiça.
Ajudar seu povo sofrido.
E mostrar ao mundo seu filho Jesus.

Mãe dos marginalizados.
Dos oprimidos.
Mãe que é igual.
Que se iguala em humildade.
Que deixa de joelhos os que nela
Não acreditam.
Que em um manto 
Deixou sua mensagem.
Criando assim seu mistério real.

E assim sua mística de amor se dá.
Guadalupe a Morena,
Que vez o nascer do sol.
Preparou a vinda do menino Jesus.
O menino Sol.
Que salvou seu povo da morte,
Da escravidão.
E os libertou.

A verdade,
Pela flor.






Salve a Virgem Morena de Guadalupe.


terça-feira, 20 de novembro de 2012

14:27

‎- Consciência e Alma Negra. -


O que corre por essas veias não é sangue.
É força, meu irmão.
O que marca essa pele não é o chicote do açoite.
É a marginalização.
O que colore essa pele não é pigmentação.
É amor, minha irmã.

Com meus braços abertos eu sinto a força de meus ancestrais.
Que chicoteados pela escravidão, lutaram com suas vidas por nossa continuação.
E através de nossa cor, ensinaram nossa cultura ao branco com amor.

É de braços fortes que se fez nossa história.
De açoite e luta pela liberdade que se fez nossa sina.
Amor e sonhos nosso futuro de igualdade.

Dos laços que nos ligam a mãe África, nossa revolução negra.
Dos abraços da negra e irmã terra Brasil, nossa esperança.
Dos passos e ritmos dos nossos batuques, a vida da nossa gente.
Nossa Alma Negra!

domingo, 7 de outubro de 2012

00:29

A Dona Desceu

Tudo caminhava para este fim, eu nem sabia, mas a profecia se cumpria.

As nuvens que por dias iam e voltavam se amonturam de uma vez só naquela manhã. Raiva emanou. Os primeiros trovões se ouviam ainda baixinhos, porém vibrantes, era a Dona se preparando pra descer, desta vez não ia voltar de mãos vazias. A manhã se escureceu. Ao meio dia as folhas do chão já se erguiam, vapor quente subia da terra, o vento forte começou a soprar, não haveria perdão nem missa de sétimo dia. A lágrima primeira correu quente, aos passos da nova fúria que brotará do solo quente e fecundo da terra, agora já sobre as posses da Dona, da soberana, não mais triste, mas mordida pela raiva.

Por volta das quatorze horas o primeiro raio rasgou o céu, e Ela desceu triunfante, no entanto em passos leves, não houve espaço para recuo, não faltou brado e emoção. Coração a mil, fogo descia do céu. Com sabor de canela a chuva caiu, as posas eram o amontoar divino das dores que se acumularam por retidão. Tirou o véu para olhar a olhos nus sua obra de arte, as árvores se retorciam, o vento uivava e a chuva derrubava paredes. Arrastou toda a insegurança, medo e receio, trouce o gozo e liberdade a ponta da língua.
Faceira, essa Dona saiu para dançar aos sopros da tempestade, correu, brincou e se fez Mulher de novo, feito criança que foge de casa, a cigana da noite, a moça dos desejos veio pra cantar. Nunca vi tanta beleza no desastre, nunca vi tanta certeza na duvida, confusão na solução e coração na boca a gritar. Caiu chuva, caiu árvore, caiu casa, caiu a ficha. Era de um bom gosto tanta tragédia, que era até pecado reclamar; Não vi senão, o direito de aproveitar, já que estava ali, que comesse e se lambuzasse. 

Tudo aconteceu da forma que o Destino marcará, não foi em vão que a seca pediu pra chuva descer, pra Dona cantar e o caos se instalar, era pra ser assim, tudo acontece no seu tempo, na sua sacra maneira. Ela desceu, e desceu mesmo, ela mandou a rima, fez cordel e dançou com o boi como tinha que ser. 

Os tambores tocaram, Ela pegou o seu bandeiro e voltou, tomou pose de seu lugar e agora vai reinar, pois já se cumpriu a profecia e assim ela pode descansar.



Que venha essa primavera morena!


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

14:54

.. Ao Desconhecido ..

Sabe como é estar entrando no eixo?
Aquela sensação de estar voltando pra casa?
Corpo, alma, mente e coração se encontrando?
Sabe como é se sentir sua?

Ei, eu entendo que ainda estamos no meio do processo, mas guria deixa eu te contar.

O corpo: Você concluiu seu objetivo, no qual você trabalhou arduamente durante as férias da faculdade para obter. Parabéns, nem gorda, nem magra. Na medida.
A alma: Estamos quase lá, meditações, orações, místicas, mantras e uma ressaca de livros diária, tudo para alcançar a expansão de espiritualidade que tanto deseja. Força, falta pouco.
A mente: Muito cuidado, a gente já conversou muito sobre isso, porém ainda temos de acertar alguns pontos, não acha? Paciência, chegaremos lá.
O coração: Fase de faxina não é? Entendo que está uma bagunça, mas ainda falta muito pra chegar ao fim. Não se preocupe, eu sabia que seria a última e mais demorada organização de sua vida, por isso começamos esta mais cedo. Sabedoria guria, essa é a dica. Precisamos jogar muita coisa fora!

Já é setembro, e sei da sua corrida contra o tempo para terminar essa organização antes do fim do mês, mas calma, temos até o começo de novembro pra resolver tudo. Sem desespero, escute sua amiga:"Não há nada a ser esperado. Nem desesperado." Você não é uma maquina, compreendo sua necessidade de resolver as coisas antes de entrar no caos do seu inferno astral, só que somos uma equipe, não posso, não consigo se for assim as pressas! É um longo caminho a ser trilhado, já passamos por outros caminhos mais difíceis, não se esqueça deles, mas estou aqui pra te contar algumas angustias que trago neste acompanhamento, alguns direcionamentos. 

Você lembra dá noite passada em que você ficou nervosa só porque não achava o anti alérgico? E como você ficou angustiada ao perceber que era o penúltimo comprimido da cartela? Se angustiou com a ideia de ter outra crise e não ter outro comprimido para tomar. Idiotice menina, você já passou por crises piores e está inteira, agustia só antecipa as dores, os males. Esqueça, deixe pra vivenciar quando acontecer.
Você lembra da semana passada? É quando me disse que estava feliz pela conclusão da meta "corpo", e de como esta bem em poder trabalhar sua alma, voltando aos valores que outrora você planejou para seu futuro? Eu lembro, porque gosto de te ver sorrir, de te ver assim, vivendo segundo sua própria lei: Carpe Diem não é? Pois bem, viva assim, a ansiedade diminui quando damos um passo de cada vez.
Você se lembra de minutos atras, em que você abriu uma página desnecessária na internet e que fez com que se sentisse pra baixo? Lembra do gosto amargo que lhe chegou a boca, e da maneira brusca com que se depreciou por aquela atitude? Então gata! Não abra, não veja, não leia, não tente destruir sua própria felicidade. Quem procura acha! Não seja idiota, viva por você, se algo ruim acontecer logo você saberá, não procure em vão. Outra coisa: escute e faça só que você quiser, conselhos e conversas demoradas com amigos fazem bem, mas você só pode fazer aquilo que te faz bem, e mesmo que esteja errada você precisa se sentir confortável. Mas também se arrisque, as vezes é isso que falta para aquilo acontecer! 
Você se lembra do mês passado, em que você achou que não suportaria nem mais um mês no seu trabalho? Lembra da vontade de jogar tudo pro ar? Não é fácil mesmo, inda mais sendo você a protagonista desse conto. Olha só, você ainda está aí trabalhando, sei que você não está feliz com isso, porém já começou a planejar, a correr atrás do seu grande sonho. Me orgulho disso, os sonhos nunca são de mais, e se não tá bom, é só melhorar.
Você lembra do ano passado? É daquela noite mesmo, daquela viagem mesmo, que você por brincadeira do destino — Literalmente uma brincadeira.   Você beijou seu amigo? Foi aquele instante que você se libertou. E você pensou: "Foi as cervejas a mais que eu bebi." Mas não guria, foi a liberdade de fazer o que quer, sem se importar com nada, te garanto que fiquei impressionada, depois de anos a primeira coisa que você fez sem planejar, sem esperar, sem se martirizar. Apenas um beijo e você despertou. E o melhor, sem paixonite, sem frescurinha, apenas uma mulher de sangue quente. Isso ai garota!
Só faço você lembrar dessas coisas para que entenda que tudo acontece por algum motivo, mesmo que alguns deem errado, mesmo que sejam más lembranças, todas são importantes para o Nosso crescimento. 
Isso vai se explicar quase que sozinho mais tarde, mas não se preocupe, vou estar lá também. E meu bem, não esquente a cabeça com seu jeito desajeitado, sua sinceridade e grosseria aguda, ou sua falta de palavras na hora em que elas realmente precisam ser ditas; concluo que é apenas falta de pratica, tudo se dá um jeito, não é você quem diz isso? Ou será que sou eu? ...Tanto faz não é!? ... Quero que saiba que sou a primeira a te amar incondicionalmente e que preciso de você para estar viva, dependo de sua criatividade, do seu sarcasmo e falta de educação. Cada palavra, palavrão que sai de sua descarada boca, é um grito de existência da minha vida, preciso que você esteja bem, que fique bem, por isso esta pequena carta, por isso minha preocupação. 

Ei guria, permaneça assim, cresça, mude, mas seja sempre assim, complicada e bagunceira. Daqui pra frente você já sabe caminhar. Mas e depois? 
Depois que terminarmos, o que você vai querer? O que deseja fazer? ...


—  Que tal dançarmos na chuva, ao som daquela música?


[A amiga: Joyce Vieira]


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

16:35

Cigana

Fui feita de ilusão e pedaços de estrelas, nasci das cinzas que caíram dos raios de Sol, sou filha da terra, mulher sozinha e sem juízo. Por meus olhos vejo os desejos que se escondem em atitudes, aprendi o prazer de guarda-los para mim. Decido jogar ao fogo todas as minhas vontades, pecados e saudades, não necessito de muito, só quero o que é meu. Vivo na rua, minha vida é de esquina em esquina, tentando me encontrar. Não tenho dono, nem nunca terei, pois assim o quero, sou caça e caçador. 
O metal do meu sangue se mistura com o sal da minha pele, tudo me atraí, tudo me repele, é tão mais forte e denso quanto minhas próprias ganas de viver. Dizer o que sou, não é correto, estou ai para ser, estou para vida como estou para morte, aqui não há acaso, é tudo destino, é tudo solidão, paixão, chão, então não há solução.
Predestinada a errar, sonhadora por parte de pai, fugitiva por intuição. Aprendi desde cedo a dizer não, sonhei com a terra prometida e não fui lá. Amei o príncipe herdeiro e não desposei, o que é uma triste história que não vou contar, não faço o que esperam, faço o que tenho que fazer. Prefiro assim. Está tudo perdido e já não há mais prisão, somos reis e rainhas de nós. Nasci livre, plena de liberdade, cheia de vontade de mudar meu mundo, quero ir mais longe, ir mais fundo, nada me apetece. Sou assim uma rua sem nome, uma estrada sem fim. 

terça-feira, 12 de junho de 2012

14:39

Toda Mulher Que Se Ama Sabe Se Entregar.

Toda mulher que se ama sabe o poder que tem.
Sabe onde olhar e quando olhar.
Sabe morder o canto dos lábios só para chamar atenção.
Toda mulher que se ama sabe dizer não.

Todo homem que ama essa mulher sabe o poder que ela tem.
Sabe olha-la com olhos de admirador.
Sabe morde-la no lugar certo para mostrar quem manda.
Todo homem que ama essa mulher sabe esperar pelo sim.

Toda mulher que se ama sabe esperar.
Sabe a hora de enlouquecer e de se acalmar.
Sabe esconder sua fragilidade e insegurança.
Toda mulher que se ama sabe conquistar.

Todo homem que ama essa mulher sabe esperar-la.
Sabe a hora de chegar junto e a hora de se afastar.
Sabe entender sua fragilidade e insegurança, mesmo que escondida.
Todo homem que ama essa mulher sabe conquista-la

Toda mulher quer ser amada e Todo homem também.
Toda mulher quer amar sem medidas e perdidamente o seu homem.
Todo homem quer amar sem medidas e perdidamente a sua mulher.
Toda mulher quer se entregar e Todo homem também.
Todos iguais tomados pelos mesmos sentimentos e medos.
Todos tomados pela imperfeição de ser humano e de não saber amar.

Porque só quem se pertence pode ser de outra pessoa.
E até a mulher mais 'Dona de Si' quer um dia poder dizer:
"Sou toda Sua!"


sexta-feira, 8 de junho de 2012

11:16

.O u s e m.

Ousem buscar algo novo.
Olhem o passado e vejam o que deu certo.
Ouçam os sábios e acreditem no que lhes disserem.
Conheçam o caminho e construam a estrada.
Ousem fazer história.
Olhem o voo do pássaro e voem 
Ouçam a música que o vento sopra e dancem.
Conheçam a estrada e caminhem.




Acreditem, sonhem,construam.
Vejam a beleza da luta.
Vejam a alegria no olhar da criança.
Vejam que sem sonhos não há realidade.

Amem, dancem e caminhem.
Vejam o horizonte no fim do caminho.
Vejam as possibilidades do amanhã.
Vejam que quem acredita sempre alcança.




Ousem saborear.
Olhem o futuro que os esperam.
Ouçam as histórias do teu povo.
Conheçam uns aos outros.

Ousem fazer o presente.
Olhem a sua juventude que clama vida.
Ouçam os gritos que ecoam.
Conheçam as raízes da tua luta.



Lutem, aconteçam, encantem.
Vejam seus sonhos se realizar.
Vejam as sementes frutificar.
Plantem, colham e plantem de novo.
Vejam que a luta nunca acaba.
Vejam a vida plena acontecer.


Ousem ser jovens.
Olhem seus medos e arrisquem.
Ouçam sua mais bela canção e cantem.
Conheçam suas origens e lutem.
Vejam o lindo bordado da vida que pelas suas mãos calejadas
É tecido cheias de fé e esperança de um mundo melhor.
Ousem realizar.




[Escrito especialmente para a minha linda juventude e por amor a minha PJ

segunda-feira, 21 de maio de 2012

14:05

.. Tempestade . Pura . Molecagem ..


Hora meiga e doce, outra assassina psicopata! 
Ser mulher nesses dias é foda!
Ai vem a carência e a vontade ... 
E essas juntas causam um puta estrago.
Não há chocolate que aguente ... 
Que dê conta ... 
Que sustente!

Não há um porque para toda essa confusão.
Não há tempero ou esmero que mude essa situação.

Hora de caos total, sensível pra caralho!
Ser a própria tempestade em copo d'água!
Ai vem com tudo, toda vontade e desejos escondidos ...
Tudo a flor da pele, tudo gritando.
Hormônios reinado e poros dilatando ...
Fera, Fêmea ...
Feminina!

Não há tristeza, mas choramos.
Não há motivo, mas nós odiamos.

Hora louca e ingênua, outra devassa que sabe o que quer!
Ser a menina em defesa e horas depois avalanche de emoções!
Ai ela é rainha, sabe onde pisa ...
É a criação do furacão, é tarde de verão.
Fogo, trovão.
Mulher, Mulherão.

Não há como prever, apenas se esconder.
Não há chá que a impeça de pirar.



TPM coisa difícil de descrever.
Não é mal humor, mas também faz parte.
Não é tristeza, mas irritabilidade.
Não é maldade, mas acontece.
Não é apenas uma fase do mês, 
É característica unica de cada mulher ... 

Então pire!
Seja livre!
Seja você mulher!







domingo, 11 de março de 2012

20:59

Mulher ou Paradoxo


Não consigo me explicar.
Sou muitas em uma.
Sou fogo, sou brisa leve.

Não consigo me classificar.
sou louca, sou livre.
Sou guerra e paz.

Anjo mau.
O dom divino.
A donzela.
O pecado original.

Não consigo me segurar.
Sou erva daninha, sou o luar.
Sou deserto, sou o mar.

Não consigo me calar.
Sou o grito e o silêncio.
Sou chuva, sou trovão.

Sou vento, vendaval, sou mulher e ponto final.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

11:05

.Lavando os Olhos.

Chorei.
Enfim coloquei para fora tudo.
Desabafei.
Desabei.
Fui tempestade outra vez.

Não sei por quanto tempo esperei isso acontecer, era tanta coisa presa, tanta coisa querendo sair. Eu simplesmente travei, não conseguia derramar uma gota de lágrima. Estava seca, e sabia que isso não era bom. 
Nunca fui boa em expressar meus sentimentos verdadeiramente, nunca me entreguei por completo. Mas era tanta coisa, coisa pequena, problemas, falta de ar, sabe?... Correria. Era quase previsível que eu iria pirar e ficar de mal humor, já estava sentindo o caos se "achegando", porém deixei que viesse e me tomasse por inteiro.

Deixei que viesse até mim.
Deixei o caos nominar.
Deixei estar.
Deixei emanar.
Fluir.


Fui chuva de verão, a lágrima fria no rosto quente. O alivio foi imediato, foi libertador. O peso dos ombros sumiu, enfim respirei. A leveza imediata se torna poesia, música e brisa, trás certeza e uma certa coragem pra enfrentar, que é de arrepiar. São perdas, erros, medos, todos eles saindo pela janela, todos eles me deixando.
Não há mal que supere algumas horinhas de choro. Se eu precisava disso? Claro, faz bem desmoronar, deixa a casa mais limpa para novas emoções.

Agonizei de dor.
Pus as  magoas para fora.
Amenizei.
Abandonei a casa da dor.
Chorei.



quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

15:33

Mais uma vez o carnaval passou.

Que passe, passarinho.
Que comece, logo esse ano.
Que chegue, o natal de novo.


Não vi o carnaval passar.
Não vi a velha colombina dançar.
Nem o pierrot chorar por seu amor.
Não vi, simplesmente dormi.


Fechei a porta, não quis essa folia para mim.
Tranquei a festa toda pra fora.


Fui viver meu paraíso.
Fui adormecer.
Fui me desfazer.
Fui ser feliz a minha maneira.


Não vivi o carnaval por uma questão.
Precisava de solidão.
Precisava de mansidão.
Precisava só de mim.
Não é que seja egoismo meu.
É que eu precisava não precisar.


Que bom que o carnaval já passou.
Que bom que o ano já começou.
E a vida volta a sua dura realidade.








sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

23:09

O principio .. O meio .. E o FIM.

Madrugadas frias, mas de um calor no coração.
Madrugadas frias de insônia e paixão.
Sonha já não me adianta mais.
Quero realizar, chega de planejar!
Ser o meu eu, na mais plena liberdade.
Ser livre e ser eu mesmo, custe o que custar!!
Amando o meu caminhar, minha luta e minha fé.
Me entrego por inteiro, não quero ser metade outra vez ..
Quero ser inteiro, no abraço de um amigo, na carícia amante de minha paixão...
Quero ser principio, meio e fim.


[Mais um poema junto do meu companheiro Rafael de Oliveira Silva, amigo das madrugadas de insônia]

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

23:11

Yes she is.

Os dias não são mais os mesmos.
Não sinto as coisas como antes.
As coisas estão aí para os que querem ver.
Os que fingem não enxergar.
E a chuva cai ..

O medo não está na cara. 
Está escondido no porão com medo dos PMs.
E há revolucionárias na ruas.
Eu vejo devastação.
Enquanto isso a chuva cai ..

Ouvem-se notícias de uma 3ª guerra mundial.
Estão desabrigando pessoas inocentes.
Estão jogando corpos no chão.
E ainda há fome de pão e educação.
E a chuva cai .. 

E eu assisto a tudo isso ao som de Beatles.

"Look out helter skelter helter skelter
Helter skelter
Look out helter skelter
She's coming down fast
Yes she is
Yes she is."


Ela parece anunciar o caos que se aproxima.
Enquanto isso a chuva cai e você finge não ver tudo o que está acontecendo!



sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

13:46

. Cansei ..

Cansei ..


Porque sei lá, to cansada de gente hipócrita ..
Cansada de gente que não sabe amar ..
Cansada de quem não faz nada pra mudar ..
Cansada de quem só sabe chorar ..
Cansada de gente perfeita ..
Cansada de explicações ..
Cansada de regras ..
Cansada de injustiças ..
Cansada de brigas ..













Cansei ..


Porque sei lá, to cansada de tanta caretice ..

Cansada de assistir televisão ..
Cansada de notícias ruins ..
Cansada de humilhação gratuita ..
Cansada de piadas velhas ..
Cansada de tanto trabalho ..
Cansada de tanto sofrimento ..
Cansada de gente que não sabe sonhar ..
Cansada de um monte de outras coisas ..
To cansada de estar cansada!

Sinceramente cansei ...