terça-feira, 20 de novembro de 2012

14:27

‎- Consciência e Alma Negra. -


O que corre por essas veias não é sangue.
É força, meu irmão.
O que marca essa pele não é o chicote do açoite.
É a marginalização.
O que colore essa pele não é pigmentação.
É amor, minha irmã.

Com meus braços abertos eu sinto a força de meus ancestrais.
Que chicoteados pela escravidão, lutaram com suas vidas por nossa continuação.
E através de nossa cor, ensinaram nossa cultura ao branco com amor.

É de braços fortes que se fez nossa história.
De açoite e luta pela liberdade que se fez nossa sina.
Amor e sonhos nosso futuro de igualdade.

Dos laços que nos ligam a mãe África, nossa revolução negra.
Dos abraços da negra e irmã terra Brasil, nossa esperança.
Dos passos e ritmos dos nossos batuques, a vida da nossa gente.
Nossa Alma Negra!