sábado, 3 de agosto de 2013

17:58

E se foi.

Primeiro ponto. - Como já dizia minha falecida avó: "Para morrer basta 'tá' vivo!". E a coisa funciona bem assim.

Ontem era planos, faculdade, sonhos à realizar.
Hoje é vela, flores e muita gente à chorar.
Antes era o medo.
Agora é a certeza.


Segundo ponto. - Há duas semanas estávamos conversando e falando da vida, hoje foi só despedia.


Ontem era a cervejinha no bar.
Hoje é o borre, ressaca que não quer passar.
Antes era festa.
Agora é dor.

Terceiro ponto. - A morte é a única certeza da vida, mas a gente nunca espera que seja tão cedo.

Ontem era as alegrias, amizades, brincadeiras, familiares.
Hoje é um buraco enorme no peito.
Antes o riso, a piada.
Agora o silêncio.


Quarto ponto. - Tudo passa, tudo passará, menos a saudade que só aumentará.


Ontem.
Hoje.
Antes.
E agora.

Há sempre a ausência.
E foi tão cedo, tão jovem.
Não dá pra acreditar.
Num piscar de olhos tudo muda
E se vai,
Pra nunca mais voltar.

"É tão estranho, os bons morrem jovem."
...
A SAUDADE NUNCA MORRERÁ.


Sexto e último ponto. - As boas lembranças permaneceram e agora é delas que devemos cuidar. 



Adeus.


[Em memória de Josivan Dantas eterno amigo, pejoteiro e companheiro de luta.]

0 comentários:

Postar um comentário