terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

21:53

Sou o lobo na pele de cordeiro.

Sentei ao lado deles
Os ouvi
Comunguei com eles
E depois lhes disse às palavras que aprendi
Falei com a autoridade deles
Mas não era o discurso que eles costumavam ouvir.


Me senti como um lobo no meio de ovelhas. E eu adorei.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

01:50

Um dia serei poeta.

Se deverás sentisse a dor que não sinto
Poeta tão pouco seria
Mas Pessoa é de um tempo de outrora
E as dores de agora se afogam num mar de saudade
Não saudade das palmeiras e nem do sabiá
E sim saudade da gente que se perdeu por lá
E se o amor é fogo que arde sem se ver queria eu ser cega deste amar 
Que só há mar e uma dor tamanha que nem o maior sentimento do mundo explicaria tanto sentir.