terça-feira, 2 de junho de 2015

19:57

Sentir-se ser subversão


Me sinto como Lorca
Na hora de sua morte.
Sozinho, sem saber o que sentir.
Na cabeça vários companheiros e companheiras,
Mas nenhum com ele ali.
De certa forma abandonado.
Com tantos sonhos por vir,
Com tanta dor a sentir.
Em uma terra seca,
Vazia de vida.
Dois tiros e tudo acabou.